3 de nov de 2014

CARDEAL DOM CLÁUDIO HUMMES VISITA PRELAZIA AGOSTINIANA RECOLETA DE LÁBREA-AM.

Prelazia de Lábrea
Lábrea-AM


Dom Cláudio e Dom Jesus

        A Igreja particular da Prelazia de Lábrea teve a alegre satisfação de acolher durante os dias 24, 25, 26 e 27 de outubro de 2014, o Cardeal Dom Cláudio Hummes, atual presidente da Comissão Episcopal para a Amazônia. A visita do Cardeal deu-se mediante convite de Dom Jesus Moraza, bispo da Prelazia, para que o mesmo conhecesse a realidade e os desafios dessa Igreja particular na Amazônia.
        Dom Cláudio chegou a Lábrea na manhã do dia 24 e foi recebido no aeroporto municipal por Dom Jesus Moraza, Frei José Garcia (administrador paroquial), Ir. Itárica Zandonadi (Missionária Agostiniana Recoleta), missionário Orly Coco (coordenador de pastoral da Prelazia) e uma representação de crianças da Infância Missionária da Paróquia. A acolhida foi simples, mas o cardeal ficou encantado com as crianças que acenavam bandeiras entoando o canto “alma missionária” e abraçou a todas afetuosamente.
        Ao meio-dia almoçou na Residência Episcopal com os religiosos e religiosas agostinianos que atendem pastoralmente a Paróquia. Também esteve presente o padre Antônio Batista (administrador da Paroquia de Canutama) e o coordenador de pastoral da prelazia.
        Pela tarde, seguindo a agenda de atividades para esse dia, visitou o Centro Esperança de Lábrea, projeto social da Prelazia aos cuidados dos Freis Agostinianos que tem como principal missão realizar um trabalho preventivo voltado para adolescentes e jovens através da educação complementar, a fim de mantê-los ocupados durante o período que não estão na escola, evitando que caiam em situações de risco e vulnerabilidade social. Ele visitou todas as oficinas e elogiou bastante a iniciativa e os trabalhos desenvolvidos.
        No fim da tarde, seguiu viagem de barco pelo Rio Purus, rumo à cidade de Canutama, numa viagem de 14 horas na companhia de Dom Jesus e do Padre Antônio Batista, da Paróquia São João Batista de Canutama.
        A tão esperada comitiva atracou no porto de Canutama as 9h00min do dia 25, e mesmo estando chovendo, foi acolhida pelo povo canutamense e representações de diversos segmentos da sociedade e da igreja. Esteve presente o prefeito municipal Ocivaldo Amorim e represente do legislativo, bem como as missionárias da Comunidade Católica Missão Resgate e Frei Miguel Angel Peralta, administrador da Paróquia Santa Rita de Cássia, da cidade de Tapauá, que veio para acompanhar a visita do Cardeal a Canutama e posteriormente a Lábrea.
        Após a calorosa acolhida que contou com queima de bateria de fogos de artifícios, todos seguiram cantando alegres até a Igreja Matriz de São João Batista, e na ocasião agradeceu imensamente a acolhida festiva e abençoou a todos. Depois do café da manhã, seguiu visitando e conhecendo todas as comunidades da sede da paróquia, até a hora do almoço que aconteceu na casa paroquial com todos os religiosos.
        Pela tarde, teve reunião com as lideranças pastorais e comunitárias da referida paróquia na quadra da Escola Frei Isidoro, aonde o coordenador paroquial da Comissão Pastoral da Terra (CPT), Luís Xavier expôs os desafios, no que diz respeito aos aspectos sociais e religiosos da realidade Canutamense. Já pela noite, o cardeal presidiu a Eucaristia na Igreja Matriz com grande participação de fiéis.
        Na manhã do domingo, dia 26, retornando a Lábrea, dessa vez de lancha, Dom Cláudio teve a oportunidade de visitar duas das comunidades ribeirinhas do Purus atendidas pela Paróquia de Canutama. Pôde sentir o carinho acolhedor, a simplicidade e a fé dos nossos irmãos ribeirinhos das comunidades “Nova Vista” e “Carmo”. Chegaram a Lábrea por volta do meio-dia.
        As 19h30hs na quadra da Escola Santo Agostinho, presidiu a celebração eucarística em que se celebrou a abertura do 30º aniversário do “martírio” de Irmã Cleusa (Missionária Agostiniana Recoleta) – mártir da causa indígena na Prelazia de Lábrea. Concelebraram: Dom Jesus Moraza; os Freis Agostinianos: José Garcia, Gustavo Barbiero, Edgar Omar e Miguel Peralta; o Padre diocesano José Lauro e o diácono Frei Geraldo Inácio. Foi uma celebração dinâmica, “estilo amazônico” com grande participação do povo, e na ocasião transmitiu-nos a bênção do Papa Francisco, que tem um imenso carinho pelos povos da Amazônia.
        Considerando a motivação para a abertura da celebração dos 30 anos do “martírio” de Irmã Cleusa, Dom Cláudio concluiu sua homilia dizendo: “vocês estão começando também a celebrar os trinta anos do martírio da Irmã Cleusa. Aqui ela morreu, nessa Prelazia entre vocês. Ela deu a sua vida, ela foi morta por isso, porque era missionária, porque tinha fé, porque amava esse povo, defendia esse povo. Então isso é muito bonito, isso ajuda, isso é uma luz que vocês têm diante de vocês e que também vocês podem dizer: “olha, a nossa igreja está produzindo santos, está produzindo ‘mártires’”. E eu dizia ao papa: “esse missionários, e tantos que já os precederam, que já morreram e estão enterrados aqui nesses duzentos últimos anos, o senhor pode colocar todos no altar e canonizar…”. – Ele riu um pouco e disse: “eu também acho que é assim…”. São santos homens, são santas mulheres… Então que isso também nos ajude a todos nós a viver a nossa fé. Que vocês continuem aqui a ser essa igreja corajosa, que caminha, que vai e não fica sentada em casa. Amém”.
        Ao término da celebração Irmã Itárica entregou em nome da Paróquia e das Irmãs Agostinianas Recoletas uma lembrança de nossa realidade para o Cardeal, bem como os jovens da Comunidade São José fizeram uma homenagem com a apresentação da dança do cangaço.
        Segunda-feira, dia 27, as 8h00min visitou a comunidade indígena São José, nas áreas do Caititu, que é acompanhada pelo Conselho Missionário Indigenista da Prelazia (CIMI).
        Pela tarde participou de um encontro no auditório da Prefeitura Municipal de Lábrea com algumas autoridades. O encontro contou com a participação do prefeito de Lábrea, Sr. Evaldo Gomes; o vice-prefeito, Sr. Michel Cruz; o secretário de saúde, Sr. Edenir Maia; o representante da secretaria de educação, Sr. José Roberto; o representante da secretaria de ação social, Sr. Jordevan; o tenente da polícia militar, Sr. Laurênio, além da representação do clero local. Durante o encontro falou-se sobre os desafios e anseios da gestão municipal no tocante as áreas básicas de saúde, educação, assistência social e segurança. Ao final do encontro Dom Cláudio também lhes dirigiu a palavra encorajando-os diante das dificuldades e anseios.
        As 17h30hs reuniu-se com as lideranças pastorais e comunitárias, os religiosos e sacerdotes da paroquia, no Centro Comunitário Dom Florentino, aonde Frei José Garcia fez uma breve apresentação geral em slides da Prelazia de Lábrea com seus aspectos e peculiaridades. Em seguida o leigo Antônio Paulino expôs a realidade social e religiosa de Lábrea na visão do leigo, apontando criticamente seus muitos desafios a serem superados. Também ao final Dom Cláudio dirigiu a palavra a todos os presentes motivando-os diante dos desafios da evangelização nesse contexto.
        As 19h30min Dom Cláudio presidiu a missa na Capela Nossa Senhora de Fátima, onde se encontra sepultado os restos mortais de Irmã Cleusa; (é importante ressaltar que esta celebração não estava na programação de atividades do cardeal, mas ele fez questão de celebrar junto ao túmulo de Irmã Cleusa).
        Durante a homilia enfatizou que era um dia muito especial para ele está celebrando onde está sepultada Irmã Cleusa, cujo 30 anos de “martírio” nossa Prelazia está começando a celebrar, e sobre a doação da sua vida ele falou: “…Que ela também nos ensine a inspirar a sua coragem, a sua fé, o seu amor, essa caridade. Esse amor ao próximo, no caso, sobretudo os indígenas, a cujo serviço ela se colocou totalmente enfrentando qualquer situação de risco que houvesse e acabou dando a vida por seus irmãos indígenas, isso para nós todos, para a igreja, esses ‘martírios’, esses testemunhos são muito importante, eles são muito fortes, valem mais do que muitas pregações. O testemunho maior que alguém pode dar é dar a vida por Jesus cristo, dando a vida por seus irmãos”.
        Ao término da celebração, agradeceu a acolhida de Dom Jesus Moraza, dos sacerdotes e de todo o povo da Prelazia de Lábrea pela receptividade e carinho que lhe dispensaram, pois foram poucos dias, porém com vasta experiência que o ajudarão muito em sua missão na Igreja da Amazônia. Após, houve uma confraternização de despedida com todas as lideranças da paróquia.
Durante a visita o Cardeal pode experimentar um pouco da realidade pastoral da Prelazia com seus anseios, sonhos, desafios e particularidades de Igreja na Amazônia.  Suas grandes distâncias geográficas, a escassez de recursos humanos e materiais para fazer a missão acontecer com maior eficácia. Mas também pôde perceber um povo alegre que partilha sua fé – uma manifestação da presença viva da Igreja de Jesus Cristo às margens do Rio Purus Missionário.
        O Purus para nós é o símbolo do caminho pascal para o Reino, pois todas as forças vivas da Prelazia são como os rios Pauini, Ituxi, Mucuim e Ipixuna, que se derramam a cada dia no Purus, sinal de nossa articulação espiritual, que juntos com a Igreja na Amazônia somam forças no Solimões e Negro, o Grande Amazonas, que aos pés da Virgem de Nazaré em sua Foz se entregam totalmente ao Mar. (cf. Plano Pastoral da Prelazia de Lábrea, n. 2).

Por Marcelo Viana – Coordenador do COMIPA/LÁBREA


Algumas fotos dos momentos de Dom Cláudio em Lábrea:

















Saiba mais acessando a nossa WEB OFICIAL: 



Nenhum comentário:

Postar um comentário