13 de fev de 2015

A ADRENALINA DO ESPORTE COM HÁBITO E BATINA.

Província Santa Rita de Cássia
Brasil

Frei Malone e o Seminarista Adriano Bitencourt

         Se você pensa que hábito e batina não combinam com esporte é porque você ainda não conhece o Frei Malone e o Seminarista Adriano Bitencourt. Os gaúchos que apreciam reggae, ‘mandam bem’ no skate, unindo o silêncio interior com a adrenalina das manobras radicais. O frei arranja tempo ainda para se equilibrar na corda, na prática do Slackline. “Na corda não existe outro adversário a não ser você mesmo”, afirma Malone. Já Bitencourt, encontra também no Surf uma grande sintonia com a natureza, “Aquela imensidão de água… ver uma tartaruga… um Boto pulando perto de mim… Só ‘pegando uma onda’ para saber o que se sente no surf!”, afirma o seminarista.
         Amor a primeira vista! Esta é a expressão que Bitencourt usa para expressar sua relação com o Sketeboard. Ele nos conta que desde criança pratica o esporte com os amigos da cidade natal, de Capão da Canoa (RS). “Em julho, nas férias, desci de skate a Serra do Faxinal (SC), a sensação de liberdade é incrível, tensão e prazer ao mesmo tempo, é como voar sobre o asfalto” descreve o seminarista. Mas a motivação dele não para por aí, a paixão pelo skate é compartilhada com a paixão pela prancha de surf, ele conta que sempre que vai a cidade natal, mal acaba de chegar, ele já corre para o mar, “nem desmancho a mochila, coloco o Long (roupa para surfing), passo a parafina na prancha e corro para o mar”, conta. O Surfing sempre o encantou desde criança, e ele afirma que: “esta é uma relação que vai durar até que a morte nos separe”, brinca.
         O desafio e o estar junto com os amigos motivam Frei Malone Rodrigues, religioso, da Ordem dos Frades Menores, natural de Alegrete (RS), a praticar Skateboard, “a alegria que sinto junto com meus amigos quando estou treinando recarrega minhas energias” conta. Contudo, encontrar um horário fixo para estar com skate não e fácil. Ele conta que acorda de madrugada para a oração comunitária, que estuda Filosofia na PUC-RS, e que realiza atividades caritativas em dois centros sociais: A Casa São Francisco e, a Casa Santa Clara. Estas, são destinadas a acolher crianças em situação de vulnerabilidade social ou em situação de risco. “É difícil encontrar horário fixo para treinar. Chego a passar uma semana sem treino”, revela o Frei. No entanto, ele nos surpreende ao contar sobre sua nova paixão! O Slackline, esporte onde é necessário equilibrar-se em cima de uma corda, “curto fazer as séries e manobras escutando música. As horas passam voando. Cada passo é um desafio”, conta. Como ele pratica a atividade sozinho, e esta exige concentração, ele nos disse que já se pegou muitas vezes falando com Deus. Ele prática este esporte geralmente no final da tarde, sem relógio, fazendo-o perceber melhor o por-do-sol, “sinto a natureza, a sua ‘vibe’ positiva”, diz Malone.

“Quando pratico esporte,
trabalho com a escuta do corpo, concentração,
equilíbrio e controle. Isso ajuda na vivência espiritual” (Frei Malone).

         Para Frei Malone, o esporte o ajuda a melhor viver a vida interior, a espiritualidade. “Quando pratico esporte, trabalho com a escuta do corpo, concentração, equilíbrio e controle. Isso ajuda na vivência espiritual”, conta o frei. Bitencourt nos fala que o esporte rompe barreiras, e o aproxima dos jovens, “quando chego ‘na gurizada’ com meu skate, ou, quando alguns me veem indo para a praia com a prancha em baixo do braço, eles percebem que existe a possibilidade de ser um jovem ‘de Deus’ e curtir a vida intensamente, ao mesmo tempo”, afirma. Para ele, a prática esportiva ao ar livre, na mata, no mar, contribui para a vida interior, aproxima de Deus, pois, a natureza é obra das mãos Dele. “No esporte encontro certo equilíbrio, descarrego a tensão, além de gastar calorias”, conta Bitencourt.

“sua persistência fará de você um vencedor!” (Bitencourt).

         É do conhecimento de todos que atividades físicas, esportivas, proporcionam qualidade de vida, e que os benefícios são físicos, mentais e espirituais. E já que estamos falando sobre esporte, aproveitamos para te motivar a prática esportiva. Frei Malone diz que o importante é começar. “Descubra algo que curta. Tente. Arrisque!”, motiva o Frei. Cuidar da saúde é zelar pelo dom precioso que Deus nos deu, nossa vida. O corpo é morada de Deus, ele abriga sopro criativo de Deus, o Ruah Elohim (do Hebraico – língua original dos textos bíblicos do primeiro testamento). Para se construir um novo condicionamento físico, é necessário novos pensamentos, novos hábitos, sair do sedentarismo. E para se tornar bom no esporte que se pratica, segundo Bitercourt, é necessário persistência: “sua persistência fará de você um vencedor!”, conclui.

Por Thiago Radael (Escrito por marianos.brasil em novembro 10, 2014. Postado em Blog da Juventude Mariana)
Edição para o Blog da Província: Frei Ricardo, OAR
  


 Saiba mais acessando a nossa WEB OFICIAL:

Nenhum comentário:

Postar um comentário