4 de jun de 2015

FREI ANTÔNIO LEOPOLDO ESCREVE SOBRE A SOLENIDADE DE CORPUS CHRISTI.

Província Santa Rita de Cássia
Brasil


A origem da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo remonta ao século XIII, na Diocese de Liège, na Bélgica, por iniciativa da freira Agostiniana Juliana de Mont Cornillon, (†1258). A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a Bula ‘Transiturus’ de 11 de agosto de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, que acontece no domingo depois de Pentecostes.

Em 1247, aconteceu a 1ª Procissão Eucarística pelas ruas de Liège, já como festa da Diocese. Depois se tornou festa nacional na Bélgica. O decreto de Urbano IV teve pouca repercussão, porque o Papa morreu em seguida. Mas se propagou por algumas Igrejas, como na Diocese de Colônia na Alemanha, onde Corpus Christi é celebrada desde antes de 1270. A procissão surgiu em Colônia e difundiu-se primeiro na Alemanha, depois na França e na Itália. Em Roma é encontrada desde 1350.

Em muitas cidades portuguesas e brasileiras é costume ornamentar as ruas por onde passa a procissão com o SANTÍSSIMO SACRAMENTO DA EUCARISTIA, com tapetes de colorido vivo e desenhos de inspiração religiosa.

Mas, qual é a finalidade desta Solenidade? Que os cristãos Católicos reafirmem publicamente com amor e coragem a Fé na Eucaristia. Proponho três pontos para a nossa reflexão:

1)                   A EUCARISTIA COMO MISTÉRIO DA FÉ. Só pela Fé reconhecemos Jesus Cristo na Eucaristia. Quando acontece a consagração, as aparências do pão e do vinho continuam, mas a realidade é outra (o pão é carne e o vinho é sangue/ Transubstanciação). O próprio Jesus disse: “Eu Sou o Pão vivo descido do céu... Quem come deste Pão e bebe do meu Sangue permanece em mim e eu nele...” (medite o capítulo 6 do Evangelho de São João).

2)                   A EUCARISTIA COMO MISTÉRIO DA CARIDADE. Total união com Deus e com os irmãos. A Eucaristia edifica a Igreja. Jesus se compadece da multidão com fome... Ele multiplica o alimento. Eucaristia é partilha, solidariedade, comunhão, justiça, caridade. No documento Sacramento da Caridade nº 36 o Papa Bento XVI nos diz: “na Eucaristia Deus revela seu amor infinito por cada homem e mulher, amor doação, amor que leva a dar a vida...” Por isso o nome Sacramento da Caridade. “Ele está todo inteiro: na cabeça e no corpo, que somos nós” (Santo Agostinho).

3)                   A EUCARISTIA É ALIMENTO DA VIDA ETERNA. Quem caminha sente cansaço, fome, fraqueza, vontade de desistir, dificuldade no caminho... Este Pão nos alimenta, nos renova, nos dá ânimo, coragem de lutar... Pois, é o Pão dos Anjos, o Pão dos filhos de Deus. “Quem come deste Pão viverá eternamente...” A Eucaristia deve ser celebrada e vivida em Ação de Graças; a Santa Missa (Eucaristia), não pode ser reduzida há uma simples obrigação ou cumprimento de um rito, é GESTO DE AMOR, É COMPROMISSO, É COMUNHÃO, É DOAÇÃO, É PARTILHA, É CARIDADE... Não temos o direito de excluir ninguém da mesa... Somos iguais, SOMOS DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS DE JESUS CRISTO, PARA QUE NELE NOSSO POVO TENHA VIDA.



Por Frei Antônio Leopoldo Sarroche Filho, OAR


Saiba mais acessando a nossa WEB OFICIAL:


Nenhum comentário:

Postar um comentário