5 de ago de 2015

PARÓQUIA AGOSTINIANA RECOLETA SANTA RITA DE CÁSSIA (IGARAPAVA-SP) É REPRESENTADA NO V SEMINÁRIO DE INCIDÊNCIA POLÍTICA DA PASTORAL DA AIDS EM PORTO ALEGRE/RS.

Pastoral da AIDS
Porto Alegre-RS


Participantes do Estado de São Paulo


Aconteceu nos dias 03, 04 e 05 de julho de 2015, na Inspetoria Nossa Senhora Aparecida (Casa de Retiro das Irmãs Salesianas), Porto Alegre/RS, o “V Seminário de Incidência Política da Pastoral da Aids – CNBB”.

Os participantes da REGIÃO SUL-1, [SÃO PAULO], foram:

PADRE MAURO MARÇAL DE FRANCA - COORDENADOR ESTADUAL.

LUCILIA VICENTE DA CIDADE DE SANTOS.

EDSON ANTONIO DOS REIS-PRESIDENTE DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE IGARAPAVA-SP E MEMBRO DA PASTORAL DA AIDS DA PARÓQUIA AGOSTINIANA RECOLETA SANTA RITA DE CÁSSIA.

O Seminário teve como objetivo:

1.  Qualificar lideranças da Pastoral da AIDS que participam nas instâncias de controle social, especialmente dos Conselhos de Saúde ou que coordenam as ações da pastoral nas dioceses;

2.  Debater, desde suas experiências e militâncias, como está sendo realizado o processo de integração da AIDS no contexto do SUS e como manter o debate sobre universalidade, integralidade e equidade do sistema de saúde.

O Seminário se apresenta como uma oportunidade de diálogo em vista de um reposicionamento da Pastoral, partindo do SUS, para entender melhor como atuar no contexto das mudanças que vem sendo implementadas atualmente no enfrentamento da AIDS.

A intenção foi debater com os participantes, desde suas experiências e militância em 19 estados do Brasil, como está se realizando o processo de integração da AIDS no contexto do SUS numa época em que o próprio sistema se encontra em risco. Debate fundamental neste período que se realizam as Conferências de Saúde em todos os níveis de gestão.

Na mesa de abertura estavam presentes Frei Luiz Carlos Lunardi - Assessor Nacional da Pastoral da Aids, Waldir José Bohn Gass - Pastorais Sociais RS, Rubens Raffo - Coordenador Técnico do Fórum de Ongs Aids RS, Gerson Winkler - Coordenador da Política de DST Aids de Porto Alegre, Daniel Kveller - Secretaria Estadual de DST Aids RS e Sandra Gomes - Departamento de DST Aids do Ministério da Saúde. Os mesmos trouxeram aspectos importantes para serem aprofundados durante o evento que tem como lema: Retomando os princípios do SUS para melhorar a incidência política.

A relevância do tema se faz necessário no momento em que se procura “sair da caixinha” recebida pelo Programa DST/AIDS para que seja inserido no conjunto do SUS, descentralizando o financiamento e a administração de atividades do Programa DST/AIDS para Estados e Municípios.

As respostas no enfrentamento da AIDS no Brasil é uma tarefa que vem sendo realizada a várias mãos: Ministério da Saúde, Organizações da Sociedade Civil, Movimento de Pessoas Vivendo e Convivendo com HIV/Aids e Religiões. Esta é uma das razões que garantem o sucesso, ao menos relativo, do controle da epidemia no país.

Este processo baseado na participação não aconteceu por acaso, nem está completo ou pronto. Ele precisa ser construído, retomado e aperfeiçoado cotidianamente, com engajamento e qualificação dos diversos atores sociais. Permanece o desafio de qualificar a rede de atendimento e os profissionais de saúde para responder às exigências das DST e AIDS.

Ainda há muito caminho a ser feito, especialmente no empoderamento da sociedade civil e dos usuários do SUS para que a resposta brasileira seja sustentável e de qualidade. Neste contexto, a preparação e qualificação de pessoas para ocupar os vários espaços de incidência política e controle social são imprescindíveis.

A responsabilidade das fragilidades e desafios no âmbito do social é de toda sociedade. Por isso, é importante o envolvimento de todos na busca de soluções para superar os limites do SUS, garantindo qualidade de vida para todas as pessoas.

Assim, o campo da incidência política da Pastoral da Aids torna-se sumamente importante pois coloca os agentes dentro do contexto de consolidação da democracia que precisa ser construída e sustentada cotidianamente.

Como resultado dos trabalhos neste três dias será divulgado um documento onde os regionais da Pastoral da AIDS – CNBB assumem o compromisso de implementar sete itens escolhidos pelos participantes.

A transição diretamente para o SUS das politicas públicas no enfrentamento da epidemia do HIV / AIDS preocupa todos os nossos agentes. Durante os últimos 30 anos contou com estrutura própria, utilizando recursos externos e do SUS.

Fica registrada a necessidade de nos prepararmos para estas mudanças e não permitirmos prejuízos no atendimento à população que nos propomos a assistir e defender.
Niterói, 06 de julho de 2015.

Por Ana Carolina Barbosa de Souza - Coordenadora da Pastoral da Aids do Regional Leste 1
Pe. Ricardo F. Dias - Assessor Eclesiástico Arquidiocesano da Pastoral da Aids de Niterói-RJ
Fotos e envio do texto: Edson Antônio Reis – Igarapava-SP


Veja algumas fotos do encontro:








 Saiba mais acessando a nossa WEB OFICIAL:



Nenhum comentário:

Postar um comentário